Calibração de pneus com nitrogênio: ganho de até 10% na primeira vida útil do pneu

A Air Products explica a tecnologia que garante economia e menos paradas para recalibragem

Quem dirige sabe a importância de manter veículos sempre em bom estado para evitar acidentes. Para quem trabalha com transporte esse cuidado tem de ser redobrado, principalmente quando o assunto é pneu.

Em comemoração ao Dia do Caminhoneiro, 30/6, a Air Products explica as vantagens da utilização dessa tecnologia, principalmente para pneus de veículos pesados, que rodam grandes distâncias.

“O ar comprimido, utilizado para encher os pneus dos veículos, é uma mistura de gases, sendo os principais oxigênio e nitrogênio. Nesse caso, a perda de pressão pode chegar a cinco libras por semana. Quando oferecemos a calibragem apenas com nitrogênio para frotas de caminhões, diminuímos esse tempo entre calibragens por uma razão simples: as moléculas desse gás são maiores e demoram mais para sair pela borracha do pneu, que é permeável”, explica Omar Abreu, Vendedor Técnico da Air Products. Na prática, veículos de transporte que utilizam ar comprimido precisam ter seus pneus calibrados semanalmente ou no máximo a cada 15 dias. Com o nitrogênio, esse tempo se prolonga para até 45 dias.

Outro ganho proporcionado pelo nitrogênio é em economia. “O segundo maior custo do transporte rodoviário hoje é, sem dúvida, o pneu, perdendo apenas para o combustível. O nitrogênio representa em média 5 a 10% de ganho na primeira vida útil do pneu e economia de cerca de quatro pneus por mês para frotistas”, completa Abreu.

As carcaças também podem ser reutilizadas mais vezes com a utilização do gás. Segundo Abreu: “trabalhando com ar comprimido, a temperatura e a pressão dos pneus variam muito devido aos contaminantes como água e óleo. Com o uso de nitrogênio que é um gás totalmente inerte, estável, isento de umidade e óleo, a temperatura e calibragem ideal do pneu é mantida por mais tempo preservando a estrutura interna. Em média, é possível ter uma reforma a mais por carcaça, o que também gera ganho ambiental, uma vez que significa melhor aproveitamento do pneu e menor geração de sucata”.

A calibragem com nitrogênio acontece por meio da filtragem do ar comprimido de um compressor comum feita por equipamentos de geração local, as “Membranas PRISM®”, no caso das frotas de caminhões, instalados nas oficinas. “O nitrogênio está na atmosfera, então estes equipamentos fazem a separação do nitrogênio de outros componentes para o abastecimento. Em geral, os frotistas instalam o equipamento em mais de uma oficina, o que permite ao caminhoneiro rodar com tranquilidade até chegar a outra localidade e realizar nova calibragem com nitrogênio”, finaliza Abreu.

Mais informações para imprensa: Bruna Nunes

www.engajecomunicacao.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *